Logotipo
Pré-natal

Precisa agendar agora um atendimento Pré-natal?

Marcar consulta o atendimento Pré-natal ficou mais fácil e barato (99,00 reais a vista) com a Clínica Disk Médicos! Clique agora em um dos botões abaixo para agendar sua consulta:

O pré-natal é o acompanhamento que a gestante faz durante as 40 semanas de gravidez junto a um ginecologista obstetra. Com consultas periódicas e a realização de exames complementares, assegura-se a saúde da mãe e do bebê.

O segmento pré-natal é de extrema importância, uma vez que identifica fatores de risco a mulher, como a possibilidade de prematuridade, ajuda na identificação de patologias no bebê e a promover o tratamento intrauterino de maior eficácia.

Veja a seguir os cuidados necessários a uma gestante durante os três trimestres gestacionais.

Pré-natal no primeiro trimestre gestacional

Compreendido até a 12ª semana gestacional, o primeiro trimestre da gestação é o que tem maiores riscos ao bebê. Isso deve-se ao fato de muitas mulheres descobrirem a gestação entre a 5ª e a 8ª semana, tendo mantido hábitos pouco saudáveis como a ingestão de bebidas alcoólicas, por exemplo, antes de descobrir que estão grávidas.

Nesse período o risco de abortamento espontâneo é maior, sendo necessário a essa mulher começar o acompanhamento pré-natal imediatamente após o teste positivo. O primeiro passo é agendar uma consulta com um ginecologista obstetra.

Esse profissional é quem deve acompanhar a saúde da mãe e do bebê nos três trimestres gestacionais e pode vir a ser o responsável pelo atendimento de ambos durante o trabalho de parto.

Nesse primeiro encontro, algumas informações são coletadas por esse profissional, sendo elas:

  • Data da última menstruação (DUM);
  • Número de semanas gestacionais;
  • Doenças pré-existentes na gestante;
  • Uso de medicação;
  • Primeira gestação ou não;
  • Entre outras.

Exames diagnósticos são solicitados nessa fase do pré-natal, sendo os mais importantes o hemograma completo, o fator RH, o de urina e urocultura e a ultrassonografia obstétrica, para identificação da idade gestacional do feto.

Por intermédio do hemograma é feita a sorologia para identificação de doenças como a Aids e a Sífilis, além da identificação de imunização de Rubéola, entre outras doenças que podem vir a demandar atenção durante o pré-natal.

A partir da descoberta da gestação até a 30ª semana gestacional, as consultas de pré-natal com o obstetra ocorrem uma vez por mês, em média, a cada quatro semanas. É aconselhado que a gestante faça ingestão diária de ácido fólico e posteriormente migre para o suplemento vitamínico.

Cuidados no segundo trimestre da gestação

Nesse período a barriga começa a aparecer e o bebê passa a se movimentar de forma mais expressiva. Entre a 15ª e a 20ª semana, em média, sentir o bebê se torna constante, sendo esse um momento de muita emoção à gestante.

Nessa fase é mais fácil de identificar o sexo do bebê, verificar se existe alguma má formação fetal ou a presença de doenças como a Síndrome de Down, por exemplo. Tudo é conseguido por intermédio da ultrassonografia morfológica do 2º trimestre.

O ultrassom colabora na identificação de fatores de prematuridade, assim como verifica o desenvolvimento fetal e a quantidade de líquido amniótico. É verificado ainda as artérias uterinas e o colo do útero para descartar fatores de risco a gestante, como a possibilidade de desenvolvimento de pré-eclâmpsia, a temida pressão alta.

A partir da 24ª semana, os exames de hemograma feitos no começo da gestação devem ser repetidos, sendo solicitado ainda o teste de curva glicêmica, exame que identifica a diabete gestacional. Todos são importantes nesta fase do pré-natal e tem como intuito assegurar que a gestante chegará à reta final da gravidez saudável, assim como o bebê.

Último trimestre gestacional

A rotina de pré-natal fica mais constante, ou seja, as consultas que eram mensais passam a ser quinzenais. Isso acontece após a 37ª semana gestacional, uma vez que se aproxima a hora do parto. A ultrassonografia morfológica do terceiro trimestre ajuda a identificar a posição do bebê. Para um parto de via natural, o bebê deve estar encaixado, de cabeça para baixo.

Exame de sangue, de urina e outras sorologias voltam a ser solicitadas, garantindo assim um parto mais tranquilo a mulher e ao bebê. O incômodo nessa fase é mais latente, tanto que os relatos enfatizam as noites em claro devido à movimentação contínua do bebê no útero e por não encontrar uma posição para dormir.

Para que a gestação seja um momento de muita alegria é importante que o acompanhamento pré-natal seja feito de forma correta. Só assim se garantirá a saúde da parturiente e do bebê, diminuindo assim os riscos a ambos. Agende sua consulta pré-natal com um dos ginecologistas obstetras da Disk Médicos.

Fontes:

Ministério da Saúde;

Organização Mundial da Saúde (OMS);

Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia (Febrasgo).

MENU

Dúvidas? - (67) 99933-8805

Clique para chamar no WhatsApp